A palavra colágeno vem do termo grego “cola”.  O colágeno é uma proteína fibrosa que está presente em todos os mamíferos. Ele é sintetizado dentro das células em nosso organismo, em pequenas porções, e exportado para fora da célula, sendo considerado fundamental para todas as funções vitais.

O colágeno ou gelatina, como conhecemos, é a classe mais abundante de proteínas do organismo humano e representa entre 20 e 30% de proteína total. É também o principal componente do tecido conjuntivo como ligamentos, cartilagem, tendões e veias, além de estar presente também em nossos cabelos e unhas. Sua principal função é manter firmeza e rigidez desses tecidos.

A produção de colágeno não é constante e começa a diminuir gradualmente e significativamente após a menopausa e envelhecimento. A deficiência de colágeno no organismo denomina-se colagenose, doença que acomete mulheres de meia idade, acarretando em problemas como má formação óssea, rigidez muscular, problemas com o crescimento, inflamação nas juntas musculares, doenças cutâneas, entre outros.

Mas a pergunta que fica é: Se o corpo precisa de colágeno, e ele realmente consegue realizar esse processo por si só, então não precisamos adicionar colágeno em pó aos alimentos ou tomá-lo como suplemento, certo?

CERTO. Mas, nos últimos anos, os suplementos alimentares com colágeno se tornaram populares com apelo de promover cabelos mais grossos, unhas mais fortes, pele mais firme e ossos e articulações saudáveis.

Contudo, o corpo humano não absorve a molécula de colágeno, então a ideia de que tomar um suplemento pode promover diretamente o crescimento ósseo, capilar e a saúde da pele é incorreta. O que seu corpo faz é quebrar o colágeno no sistema digestivo em aminoácidos que o corpo usa onde quer que seja necessário, mas não dá automaticamente um resultado instantâneo. O colágeno hidrolisado é o colágeno obtido por processo industrial, principalmente através dos bovinos, que passou por um processo de hidrólise ou quebra para ser absorvido e chegar facilmente à corrente sanguínea.

Além disso, existem dados e estudos científicos muito limitados sobre a ingestão deste composto até o momento. Consequentemente, ainda não se sabe se esses suplementos têm algum benefício significativo em pessoas que já estão consumindo uma dieta balanceada com uma variedade de fontes proteicas, como carne, frango, peixe, ovos, nozes e iogurte.

O que, de fato, é importante e condizente com nosso processo fisiológico é o uso de um composto que possa estimular o aumento da produção de colágeno pelo próprio organismo. E hoje, isso é totalmente possível. Pesquisadores descobriram uma maneira de estimular os fibroblastos e os osteoclastos, células da pele e dos ossos, a produzirem mais colágeno através de um composto de ácido ortosilícico (OSA) estabilizado em colina, chamado BioSil™. Neste sistema, as moléculas de OSA e colina foram complexadas, de modo a garantir a estabilidade e a biodisponibilidade deste ingrediente inovador, através da tecnologia patenteada chamada ch-OSA™.

Nenhum alimento, nenhum suplemento de colágeno, como colágeno em pó ou cápsulas contendo colágeno, podem fazer com que seus fibroblastos e osteoblastos voltem a funcionar em plena capacidade. Nenhum. Apenas o BioSil™ – com ch-OSA™ – foi clinicamente testado em humanos e comprovado sua eficiência em aumentar a formação de colágeno.

 

Veja onde encontrar clicando aqui.